iPoomWeb Agência Digital

Blog - Pesquisas

Benefícios do monitoramento de redes sociais para sua empresa.

Publicado em 25.06.2015 às 16:43 | Postado em: Pesquisas | Fonte: http://ecommercenews.com.br
Compartilhe:

As empresas estão constantemente buscando novas estratégias para chegar até seus clientes, cada vez mais bem informados, de forma mais efetiva e duradoura, contudo, o cenário que se apresenta é cada dia mais complexo.

Compreender este cenário e tirar partido dele para construir relações mais eficazes com o público é a maneira certa de se posicionar na rede e criar mais e melhores oportunidades de negócios. Por esse motivo, o monitoramento de redes sociais vem sendo utilizado com afinco por profissionais de marketing digital e gerando resultados surpreendentes. Entenda quais podem ser os resultados e benefícios para sua empresa.

Monitoramento de redes sociais: muito mais do que dados sócio demográficos

O marketing tradicional sempre se utilizou de uma segmentação baseada em dados sócio demográficos, que indicam faixa etária, profissão, renda mensal, entre outros dados. Contudo, em tempos de redes sociais e uma participação cada vez mais ativa das pessoas na internet, essas características não bastam para determinar o comportamento do consumidor, suas preferências e hábitos de consumo.

É aí que entra o monitoramento de redes sociais, que visa acompanhar tudo o que os usuários curtem, compartilham e comentam nessas plataformas e transformar esse conhecimento em diferenciais para a sua empresa. Saiba o que você pode ganhar com isso logo abaixo:

Descobrir novos insights e melhorar as vendas

Os insights obtidos nas redes sociais são excelentes insumos para que a sua empresa aprimore as estratégias de marketing e vendas e possa dialogar com os clientes de uma maneira menos formal, mais humana e dedicada a atender as reais necessidades dessas pessoas.

Aprender quem é de fato o seu cliente

Ao monitorar as principais redes sociais do mercado, como Facebook, Twitter, Instagram, YouTube e Google+, sua empresa aprende quem é o público que está em cada uma das plataformas, quais suas características em comum, o que gostam, o que compartilham, quais são suas percepções e opiniões.

Falar a linguagem do seu público

Além de ir mais fundo no perfil do seu público-alvo, com o monitoramento de redes sociais você passa a compreender a linguagem do seu público, adequando a sua própria linguagem para atrair mais pessoas para a sua empresa.

Persuadir sem invadir

Através do monitoramento de redes sociais você encontra também maneiras menos invasivas de persuadir o internauta a visitar seu site ou blog, identificando quais são suas principais dúvidas e criando conteúdo relevante e direcionado para ele.

Reduzir custos e focar em qualidade

Você pode, ainda, reduzir custos na medida em que identifica os melhores canais de relacionamento com o cliente, investindo mais tempo e recursos neles e determinando a combinação perfeita entre canais e mensagens para gerar mais vendas.

Identificar crises com antecedência

Hoje em dia as redes sociais viraram lugar de desabafo para frustrações e experiências malsucedidas com produtos e serviços, o que pode culminar em crises de imagem sérias para a empresa caso esta não saiba tratar o acontecimento da maneira adequada. Monitorando as redes sociais, sua empresa encontra tudo o que está sendo falado a seu respeito e pode agir proativamente na resolução de qualquer conflito antes que este se amplie.

E a sua empresa, já faz monitoramento de redes sociais? Você também percebeu algum outro benefício não citado aqui? Escreva através dos comentários!

Continue lendo o artigo »

Quanto papel seria necessário para imprimir a internet inteira?

Publicado em 28.04.2015 às 14:09 | Postado em: Pesquisas | Fonte: Universidade de Leicester
Compartilhe:

Um grupo de estudantes da universidade de Leicester, na Inglaterra, encontrou uma resposta para uma das perguntas mais inúteis e, exatamente por isso, mais interessantes da humanidade: quanto papel seria necessário para imprimir a internet inteira?

O grupo estimou quantas folhas de papel seriam necessárias para imprimir uma página convencional da rede, indexada no Google e sem conteúdo inapropriado para menores. A partir desses parâmetros, os pesquisadores descobriram que um site precisaria, em média, de 15 folhas de papel A4 para ser impresso.

Usando esse número para as cerca de 4,5 bilhões de sites na internet, descobriu-se que seriam precisos 68 100 002 500 de folhas de papel para imprimir a internet. Mas os pesquisadores acharam a estimativa muito conservadora, e resolveram dobrar o número. No final, ficaram em 136 bilhões de folhas de papel.

Considerando que uma árvore pode dar origem a 8 500 folhas de papel, seriam necessárias cerca de 16 milhões de árvores para transformar a internet em papel. A Floresta Amazônica, por exemplo, possui 400 bilhões de árvores. Ou seja: seriam necessários 4% do território amazônico para criar um grande livro com o material da rede.

No final do estudo, os pesquisadores da universidade de Leicester alertam que eles não consideraram páginas da chamada "deep web" ou páginas de pornografia. Segundo a própria pesquisa, as páginas indexadas representam apenas 0,2% de toda a rede.

De qualquer forma, agora outra pesquisa se torna obrigatória: quantos cartuchos de tinta seriam necessários para imprimir tudo isso?

Continue lendo o artigo »

Redesign do e-commerce: Quando é a hora?

Publicado em 21.11.2014 às 15:54 | Postado em: Pesquisas | Fonte: http://www.ciashop.com.br/
Compartilhe:

Ao iniciar o seu comércio online, seu layout estava de acordo com o mercado em questão com as tendências da época, não é mesmo? Mas, como todos sabem, o design está em constante evolução, e é preciso ficar atento com os sinais para descobrir em qual momento é necessário redesenhar o seu e-commerce. Separamos algumas dicas de como detectar a hora de fazer uma mudança.

Evolução da marca

Como qualquer empresa ou negócio, sempre há a necessidade de recriar ou apenas fazer alguma modificação que torne a marca mais moderna e adaptada, de acordo com a imagem a ser passada através dela.

É importante que, ao mudar a marca, toda a identidade visual do negócio também se adapte a essa mudança. E com o e-commerce não pode ser diferente. Se o traço da marca, a sua cor, seu partido gráfico ou qualquer outro detalhe mudar, por mínima que seja a mudança, os elementos que fazem parte do design do site também devem ser atualizados, de forma que conversem com os demais materiais.

Mudança de posicionamento negócio

As empresas se adaptam conforme o mercado e o posicionamento estratégico, sempre que haja a necessidade. Alguma mudança na visão da empresa, um novo sistema de qualidade dos serviços, uma nova fatia de mercado a ser conquistada, um novo nicho de público, novas metas organizacionais, dentre outras diversas novas políticas implementadas.

Para que essas mudanças sejam efetivas também no e-commerce, é preciso fazer uma pesquisa inicial do que será necessário adaptar na linguagem visual do layout. Por exemplo, se houver uma mudança de nicho para focar no público feminino, pensar em elementos que atraiam esse determinado público, de forma que também não perca a identidade do negócio. Para saber se a mudança realmente está sendo positiva, é possível avaliar a reação do público através daferramenta de teste A/B, garantindo os melhores resultados para o negócio.

Design e tecnologia ultrapassados

Se você olhar para o seu e-commerce e perceber que ele tem uma aparência ultrapassada, provavelmente é hora de um redesign. Um layout criado em 2010 deixará de ser atual em 2013. Padrões e tendências de web design mudam muito rápido, por isso se o design do seu comércio eletrônico não estiver atualizado e evoluindo no ritmo dos demais, acaba sendo considerado ultrapassado.

A mesma regra vale para a tecnologia utilizada, por exemplo, insistir em apresentar banners em formato flash pode ser um grande erro, do ponto de vista que diversos devices já não dão suporte a este formato.

Quando isso acontece, os visitantes gastam menos tempo em seu site e sua aquisição de clientes tende a diminuir.

Novas informações e conteúdo não só fazem com que os visitantes vejam o e-commerce como ágil, mas também ajudam a otimizar o seu posicionamento nos mecanismos de busca.

Os clientes estão com dificuldade de encontrar o que desejam

Se os seus clientes estão tendo dificuldades para encontrar o que estão buscando em seu e-commerce, é hora de um redesign. Se você estiver recebendo questionamentos de como navegar e onde encontrar determinado produto que você possui na loja, mas que não foi encontrado pelo cliente, ou se você já fez testes com usuários e seus clientes parecem perdidos, você precisa repensar a sua navegação. Será preciso implementar essas melhorias em seu redesign, de forma com que a navegação torne-se mais intuitiva possível e que os usuários encontrem facilmente o que estão procurando na sua loja virtual.

Outra dica está no cadastro com qualidade das meta tags e dados do produto, dessa forma, o mecanismo de busca da loja virtual possui mais informações para gerar um resultado de busca mais eficiente.

Está muito atrás dos concorrentes nos mecanismos de busca

Assim como as referências que se espalham através do boca-a-boca, resultado das experiências boas e ruins dos clientes, as referências dos mecanismos de busca proporcionam o melhor caminho para a conquista de clientes, que resultam do aumento de tráfego. Se a concorrência está superando você, provavelmente significa que eles têm implementado Search Engine Optimization(SEO) e executado melhores práticas que o seu e-commerce. Você precisa organizar melhor o seu conteúdo que o das demais lojas do ramo, e possuir uma estrutura que indexe as informações presentes na sua loja virtual, conquistando um melhor posicionamento nos resultados de busca.

Rejeição

Se você percebe, através do seu perfil do Google Analytics, que os visitantes da sua loja rejeitam o seu site, ou seja, visualizam uma página e logo saem, há a possibilidade do problema estar no layout. Porém é necessário que sejam feitas pesquisas e testes para descobrir qual é o real problema e o que pode ser feito para que seja solucionado, para assim planejar um redesign do e-commerce de maneira concreta e bem sucedida.

Com todos esses motivos que mostram que o e-commerce deve ser redesenhado constantemente, tenha sempre em mente o mais importante: a opinião do seu cliente. De nada adianta fazer um layout super moderno e refinado, que não condiz com o perfil do seu público-alvo. Devido a isso, é extremamente importante que todas as mudanças sejam testadas e aprovadas pelo seu cliente, para que se tornem mudanças positivas, e não apenas uma modificação no visual.

Continue lendo o artigo »

Um quinto dos usuários irão comprar dentro de redes sociais em 2014

Publicado em 31.01.2014 às 12:02 | Postado em: Pesquisas | Fonte: E-Commerce News
Compartilhe:

Um estudo promovido pela Javelin Strategy & Research, empresa especializada em pesquisas e insights de mercado, destacou que, além das redes sociais serem importantes para o tráfego das lojas virtuais, é salutar para as companhias atentar para as compras efetuadas diretamente nesses canais. De acordo com a pesquisa, em 2014, quase 1 em cada 5 usuários de mídias sociais irão fazer, ao menos, uma compra dentro da rede social.

A pesquisa foi desenvolvida com mais de 3 mil consumidores, durante novembro de 2013, com 18% dos entrevistados revelando que comprariam em uma rede social; 9% disseram que são propensos a comprar e outros 9% muito propensos a tal. Cerca de 15% dos respondentes se mantiveram neutros com relação ao assunto, com uma grande parcela, 12%, afirmando que seria pouco provável comprar em redes sociais; e 15% comentando que seria muito pouco provável efetuar esse tipo de transação comercial.

Ainda que geração Y (composta de pessoas nascidas entre 1980 até 1995) apresente altos percentuais de conectividade, o total de pessoas dispostas (14%) ou muito dispostas (13%) a comprar em redes sociais é ligeiramente similar aos índices da geração anterior. Dentre os nascidos entre 1962 e 1982, conhecidos como Geração X, 26% revelaram que são propícios a comprar em plataformas sociais.

Concernente ao gênero, os homens são os que mais adquirem produtos nessas plataformas: 23% dos entrevistados atestou que compraria algo em uma rede social; em contrapartida, nas mulheres esse índice se registrou em apenas 14% das entrevistadas.

Continue lendo o artigo »

E-commerce brasileiro movimentou R$ 29 bilhões em 2013

Publicado em 29.01.2014 às 18:10 | Postado em: Pesquisas | Fonte: Olhar Digital
Compartilhe:

As vendas pela internet no Brasil dispararam 28% no ano passado, e o setor arrecadou R$ 28,8 bilhões. O desempenho superou as estimativas dos analistas, que esperavam aumento nominal de 25% em relação a 2012.

Para Pedro Guasti, diretor executivo da E-bit, o rápido crescimento da banda larga móvel influenciou nos números positivos. “Muitas pessoas das classes C e D, que não tinham acesso à internet, passaram a se conectar através de modelos mais simples de smartphones e se tornaram consumidoras online”, explica.

A última edição da Black Friday, que segundo a consultoria movimentou R$ 770 milhões, também contribuiu para o sucesso do setor. Em 2014, impulsionado pela Copa do Mundo, o comércio eletrônico brasileiro deverá crescer 20% e atingir faturamento de R$ 34,6 bilhões, segundo a E-bit.

Continue lendo o artigo »

Receba nossas novidades

Receba dicas e novidades diretamente em seu e-mail.

Categorias

Últimos Posts